AF_Logotipo_Fundacao_1bi-07.png
otpith.jpg
Ampliando a presença digital

Larissa Almeida (analista de planejamento comercial) foi voluntária da 7ª edição do Potencialize, programa de voluntariado do Grupo Movile que presta consultorias gratuitas em tecnologia e gestão para ONGs de todo o país. Abaixo eles contam como foi a experiência de serem voluntários por um mês no Coletivo Motirõ.

 

Na sétima edição do Potencialize, a expectativa para trabalhar junto às ONGs e construir soluções, utilizando a tecnologia como ferramenta para aumentar o potencial de impacto, era enorme. Em nossas primeiras conversas entendemos a fundo o problema que o coletivo Motirõ enfrentava de captação de recursos para ampliar seus projetos, e construímos alguns esboços de como poderíamos desenvolver, em três semanas, soluções viáveis que fizessem sentido para o instituto.

 

Em nossas conversas com a Motirõ, percebemos que precisaríamos atuar em diferentes áreas para entregar uma solução mais robusta. Entretanto, devido ao curto tempo para o desenvolvimento, tínhamos o grande desafio de abordar todas as frentes com a profundidade desejada. Para otimizar o tempo de trabalho, dividimos a equipe em três temas e construímos o escopo de cada um deles para garantir que seriam abordados todos os tópicos necessários para a melhoria na captação da organização.

 

As soluções não foram construídas exclusivamente por nossa equipe. Ao longo do programa, fizemos reuniões semanais com o instituto, para garantir que as expectativas dos gestores seriam atendidas e para que dessem insumos relacionados ao dia a dia da ONG e o que funcionaria melhor em seu trabalho. Ao longo de todo o processo, fomos amparados, também, pela equipe da Fundação 1Bi, que direcionou melhor nosso trabalho e como poderíamos nos dividir para entregarmos a solução esperada.

 

A tecnologia foi a ferramenta fundamental do trabalho desenvolvido. Entregamos à ONG não só ferramentas para automatizar a captação e aumentar o alcance digital, como também materiais e conteúdos para que se tornassem independentes na captação de recursos por meio de treinamento para seus voluntários e contato com agentes do mercado que podem auxiliar nos projetos. Assim, o trabalho que iniciamos no Potencialize pode ser expandido e melhorado resolvendo, de fato, o problema que trouxeram para o programa.

 

Ao apresentarmos o resultado, ficamos extremamente satisfeitos com a felicidade e empolgação com a qual ele foi recebido pela ONG. O trabalho coletivo, de uma equipe diversa em áreas de atuação, permitiu a entrega de um projeto que cumpriu as expectativas da ONG e utilizou a tecnologia para a construção de soluções que têm o potencial de causar um aumento no impacto gerado pela organização.