top of page

Tecnologia e educação: 30 professores trabalhando com Inteligência Artificial

Atualizado: 16 de ago. de 2023

Por: Bianca Silva


Desde o advento do Chat GPT, o debate sobre o uso de Inteligência Artificial (IA) tem sido cada vez mais constante na área da tecnologia, publicidade, cinema e também na educação. A questão que sobressai é: em que medida o acesso à Inteligência Artificial está presente na educação quando falamos no contexto de escolas públicas brasileiras?


Foi com esse questionamento que desenvolvemos o projeto MACMA 3.5, cuja proposta foi unir o conhecimento de professores de escolas públicas e o uso de uma Inteligência Artificial generativa, para criar em 3 meses, 8.568 materiais com metodologias ativas distribuídos gratuitamente na Plataforma AprendiZAP.


O nome MACMA 3.5 pode assustar num primeiro momento, mas é o apelido que demos para “Mais atividades com metodologias ativas”. Se você tá se perguntando de onde vem o 3.5, eu já te conto: esse número corresponde a versão do ChatGPT que utilizamos na criação dos materiais. Então, agora que já conhecemos o nome e o significado do projeto, vamos entender de onde partiu essa ideia.


1. O problema na vida dos professores: como tornar as aulas mais atrativas?


Em entrevistas realizadas com os professores que utilizam a Plataforma AprendiZAP, constatamos que junto a falta de tempo, havia o interesse em promover atividades instigantes e desafiadoras para as suas turmas.


A partir dessa descoberta, nosso time de Conteúdo realizou um processo de investigação em meados de Agosto de 2022, envolvendo materiais pedagógicos e plataformas que ofereciam orientação para os professores, disponibilizando diretrizes de como desenvolver os temas em suas turmas. Unindo as entrevistas com essas investigações, definimos um piloto para a construção desses materiais, que deveriam conter:


  1. metodologias ativas: para promover o protagonismo dos estudantes e tornar as aulas mais atrativas;

  2. habilidade da Base Nacional Comum Curricular (BNCC): para o professor identificar qual habilidade seria desenvolvida com a atividade;

  3. passo a passo: roteiro de como desenvolver a metodologia, com dicas para implementação.


Com o piloto definido, convidamos 2 especialistas em Metodologias Ativas e Educação, a Profª Drª Alice Ferreira, e a designer Camila Martinelli, para mapear quais metodologias poderiam ser aplicadas considerando as dificuldades de acesso à internet e a equipamentos digitais. Com isso, já em Outubro de 2022 mapeamos 12 metodologias ativas e criamos templates para cada uma das propostas, com o objetivo de oferecer para o professor a orientação de como desenvolver a atividade, e ter um recurso pedagógico para aplicar com suas turmas.




Template da dinâmica 3Q’s, utilizado pelos alunos para autoavaliação da aprendizagem e/ou avaliação da aula.

Os templates foram criados para o download e impressão feita pelos professores, considerando a economia de papel (por isso o pontilhado no meio, indicando o corte) ou na possibilidade de reproduzir na lousa em sala de aula. Fonte: AprendiZAP.



Para testar o formato dos materiais, elencamos 80 temas de Língua Portuguesa da Plataforma AprendiZAP, e criamos os primeiros conteúdos de orientação aos professores. Nesse período entre Novembro de 2022 e Janeiro de 2023, contamos com o trabalho de professoras especialistas responsáveis por analisar o tema, a habilidade da BNCC e a metodologia (dentre as 12 mapeadas) que melhor se encaixavam com o conteúdo em questão.


Elaboramos os materiais, pedimos para os professores testarem, colhemos feedbacks, ajustamos e disponibilizamos no início de Fevereiro de 2023 os 80 conteúdos na nossa plataforma. Com isso, nosso time de conteúdo pode aprender mais rápido, entender quais metodologias e templates mais dialogavam com o nosso público e quais elementos eram indispensáveis conter nesses materiais. Daí veio o desafio: como aplicar esse formato de conteúdo para os mais de 2000 temas presentes na Plataforma AprendiZAP? Se você pensou: “é aí que entra a IA”, arrasou no palpite!



2. Professores e Inteligência Artificial


O mês era fevereiro de 2023, quando a Débora, gerente de produto do AprendiZAP me chamou para uma reunião sobre os resultados do projeto com metodologias ativas. As entrevistas com os professores apontavam que havia maior interesse dos alunos, quando usavam os materiais em suas aulas. Conversamos sobre os aprendizados e compartilhamos desse desafio: como escalar o modelo que validamos com os professores, para todos os conteúdos do AprendiZAP? Foi aí que ela trouxe a ideia: “e se usarmos inteligência artificial?”. As várias perguntas de como faríamos isso surgiram, mas o ponto crucial que definimos nesse dia foi elementar para todo o projeto: utilizaremos IA com a revisão crítica de professores especialistas.


Estudo do prompt


Começamos a investigar como o desenvolvimento do projeto seria possível. Nesse processo, estimamos que sem o uso da IA levaríamos de 1 a 2 anos para produzir ao menos 1 material com metodologia ativa para cada um dos 1.428 temas disponíveis nos nossos conteúdos do Ensino Fundamental II. Nossos estudos apontavam que com o uso da IA, conseguiríamos criar 8 materiais para cada tema, no período de 3 meses (ou seja, teríamos 8.568 conteúdos disponíveis para os professores aplicarem em sala de aula).


Nosso time de desenvolvimento já estava investigando diferentes modelos de inteligências artificiais e começamos a fazer os primeiros testes de prompt, entendendo quais elementos eram necessários para a IA criar os materiais o mais próximo possível do modelo que definimos.


Depois de vários testes e algumas semanas de investigação, definimos o prompt para gerar o primeiro milhar de materiais usando IA, contando fundamentalmente com o seguinte modelo:


  1. Tema: qual o tema dos materiais

  2. Habilidade da BNCC: a habilidade que será desenvolvida

  3. Metodologia Ativa: a metodologia elencada para o tema

  4. Componente curricular: qual componente curricular será trabalhado

  5. Template: material gráfico para o professor imprimir e facilitar a implementação da metodologia

  6. Introdução: breve explicação sobre o assunto e apresentação da metodologia

  7. Etapas de implementação da metodologia: passo a passo de como implementar a metodologia em sala de aula

  8. Intencionalidades pedagógicas: quais intenções pedagógicas o professor precisa se atentar durante a implementação da metodologia

  9. Critérios de avaliação: o que será avaliado ao longo da atividade

  10. Papel do professor: como o professor deve se preparar para aplicar a atividade

  11. Papel do estudante: o que é esperado do estudante


Durante os primeiros testes de prompt, já tínhamos em mente que os materiais só ficariam completos se contássemos com os feedbacks dos professores especialistas ao longo do processo.


Professores trabalhando com IA


Em Abril de 2023, reunimos um grupo de 30 professores com experiência em escolas públicas e metodologias ativas para compor o nosso time de conteúdo. Contamos sobre a proposta, os objetivos e a nossa motivação para o uso da IA nesse projeto, compartilhando o papel elementar que eles teriam, sendo responsáveis pela análise crítica dos materiais, pelos feedbacks sobre o prompt e deixando nítido que seria um projeto de criação coletiva, em que precisaríamos do retorno deles para ajustar o prompt e criar materiais cada vez melhores.


Ao longo das semanas de revisão dos conteúdos, contamos com treinamentos e encontros pedagógicos formativos para o time de professores sobre Metodologias Ativas, Inteligência Artificial na Educação, Linguagem Simples e Boas práticas para revisão de conteúdos. Esses espaços coletivos de formação permitiu que os professores trouxessem suas indagações, sugestões, percepções e contribuições para criarmos materiais que realmente fizessem sentido para o nosso público. Nesse processo, contamos com a experiência de duas professoras coordenadoras, a Profª Bianca Ferreira e a Profª Beatriz Bispo, responsáveis por liderar e apoiar o time de professores ao longo das semanas de desenvolvimento do projeto.


A cada material revisado, os professores indicavam o nível de intervenção que precisou fazer no conteúdo. Através desses feedbacks pudemos identificar pontos interessantes sobre o uso da IA, dos mais técnicos aos mais pedagógicos:

Técnicos

  • a limitação da IA em algumas metodologias e componentes curriculares: em alguns componentes a IA não tinha repertório suficiente para criar os materiais;

  • a “temperatura” do prompt para cada componente: em alguns casos a IA produzia materiais muito engessados, e precisávamos ajustar a “temperatura” para dar mais vazão criativa.


Pedagógicos

  • metodologia ativa e o componente curricular: em alguns casos a metodologia ativa não fazia sentido ser implementada para o tema. Por exemplo, o uso da metodologia Modelo de Debate Crítico para “Bissetriz de um ângulo” em Matemática;

  • dicas para cada tema: escolhemos inserir a seção de dicas como um espaço de comunicação de professor para professor, em que nosso time oferecia indicações de materiais complementares. Então essa seção não contou com a criação por IA.


A partir desse modelo colaborativo de trabalho, criamos um ambiente em que os professores compartilharam suas percepções, fizeram parte substancial do uso de IA e aprofundaram seus conhecimentos em Metodologias Ativas aplicáveis em escolas públicas. Ao final do processo de 3 meses, eles compartilharam que se sentiam mais seguros sobre o uso de metodologias ativas e mais preparados para o uso de IA em suas práticas pedagógicas, reduzindo as lacunas entre o medo e o desconhecido, e se apropriando dos benefícios que essa tecnologia pode oferecer para a educação pública brasileira.


3. Tecnologia na Educação


O sucesso desse projeto se deu ao alinhamento de todo o time AprendiZAP com a proposta do projeto e a atuação de cada equipe no seu desenvolvimento (nas redes sociais da Fundação 1Bi você encontra o relato de cada uma das áreas, e tem a oportunidade de conferir como foi essa experiência a partir de diferentes perspectivas).


Tivemos momentos de interação entre o time de produto, conteúdo, design, desenvolvimento e dados com os professores especialistas, promovendo um espaço de co-criação em que tecnologia e educação se fundiram, e cada esfera esteve indissociada da outra. A medida que nossos trabalhos se co-relacionaram, aparamos as arestas, ajustamos e remodelamos de acordo com as necessidades de cada área.


O MACMA 3.5 se tornou um o retrato do nosso trabalho no AprendiZAP e corresponde a um dos principais pilares da Fundação 1Bi: unir a tecnologia e a educação para promover impacto social positivo e contribuir para a construção de uma educação pública de qualidade.


Posts recentes

Ver tudo

ความคิดเห็น


Conteúdo Fundação 1Bi

bottom of page